Normas ABNT

DURATEK IND. COM. LTDA

NOSSOS PRODUTOS ESTÃO EM CONFORMIDADE COM AS NORMATIVAS ABNT.

logo_abnt

Normas ABNT para Telhas de Concreto

1.3.2. Telhas de concreto

O conjunto normativo para este tipo de telha é composto por duas normas abrangentes, a saber:
• NBR 13.858-1 (ABNT. 1997) Telhas de concreto – Parte 1: projeto e execução de telhados:
• NBR 13.858-2 (ABNT. 1997) Telhas de concreto – Parte 2: requisitos e métodos de ensaio.

1.3.2.1. NBR 13.858 — 1 (1997)

Esta norma fixa as condições exigíveis para o projeto e execução de telhados com telhas de concreto. Contém as definições de água ou plano d’água. Beiral, cumeeira, espigão, fiada faixa, rincão ou água furtada, peça complementar, rufo, telha translúcida ou transparente e telhado. Para o melhor entendimento destas definições, as mesmas são ilustradas em uma figura.

Com relação ao projeto de telhados com este tipo de componente, a norma apresenta recomendações ao projetista, atentando-o para as condições climáticas locais, além das propriedades das telhas.

Apresenta também uma tabela completa contendo a inclinação dos telhados em graus e em porcentagem, o comprimento máximo da água, distância máxima (galga), sobreposição mínima, numero de telhas por m² e o limite de inclinação a partir do qual há a necessidade de se proceder a amarração das telhas.
No que diz respeito à execução apresenta recomendações ilustrativas para o manuseio e estocagem das telhas de concreto.
Quanto à colocação das telhas, indica o sentido de colocação das telhas, alerta sobre a necessidade de se distribuir os esforços sobre as telhas durante a sua colocação além de definir a posição para a furação da telha, caso haja necessidade.
Com relação à execução da cumeeira e espigão, apresenta os procedimentos e recobrimentos mínimos entre as cumeeiras e as telhas (80 mm) e entre as cumeeiras (70 mm). Quanto ao beiral, alerta para a utilização de telha terminal esquerda.
Apresenta um conjunto considerável de detalhes de arremates e peças complementares.

1.3.2.2. XBR 13.858 – 2 (1997)

Esta norma fixa os requisitos exigíveis pala o recebimento e aceitação de telhas de concreto, destinadas à execução de telhados.

Apresenta as seguintes definições: telha de concreto, aditivos, adições. Empenamento, desagregação, fissura, rebarba, forma, encaixe lateral, garras de fixação, nervura dupla ou pingadeira, partida, lote.

Apresentam também os requisitos para fabricação, aspectos visuais, dimensional e geométrico. Com relação a este último requisito. Apresenta os valores gerais e do perfil da telha, transcritos nas Tabelas 1.11 e 1.12, respectivamente.

Além destas recomendações de ordem geométrica, apresenta também alguns detalhes construtivos tais como:
• encaixe lateral e nervura dupla;
• garras de fixação nos apoios e alinhamentos;
• pré-furos para amarração e fixação das telhas.

Com relação aos ensaios físicos, basicamente esta norma prescreve especificados para as telhas cerâmicas (sonoridade, empenamento, permeabilidade, carga de ruptura à flexão e massa). Os procedimentos para a execução dos ensaios são descritos nos anexos à norma, de acordo com a Tabela 1.13.